Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Ditassa obscura (E.Fourn.) Farinaccio & T.U.P.Konno EN

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 03-02-2014

Criterio: B1ab(i,ii,iii)+2ab(i,ii,iii)

Avaliador: Rodrigo Amaro

Revisor: Luiz Santos

Analista(s) de Dados: Roberta Hering

Analista(s) SIG: Thiago, Marcelo

Especialista(s): Alessandro Rapini


Justificativa

Espécie endêmica do estado de Minas Gerais (Koch et al., 2014), sendo restrita à Serra da Canastra, onde é encontrada no município de São Roque de Minas (Rapini et al., 2009), no Parque Nacional da Serra da Canastra e nas áreas do entorno (CNCFlora, 2013). A espécie se desenvolve nas fronteiras de pequenas manchas florestais (“capões”), em Matas de Galerias e em pastagens com solo arenoso pedregoso (Farinaccio & Konno, 2005), em altitudes superiores a 1.000 m (Konno, 2005). Apresenta EOO menor que 5.000 km² e AOO inferior a 500 km², e está sujeita a menos de cinco situações de ameaça considerando suas localidades de ocorrência. Suspeita-se que a espécie sofra com o declínio contínuo de EOO, AOO e qualidade do hábitat, em decorrência das ameaças incidentes na área de ocorrência da espécie, como o ecoturismo e a implementação da pecuária, além dos incêndios de origem antrópica e da invasão de espécies exóticas (MMA/ICMBio, 2005).

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Ditassa obscura (E.Fourn.) Farinaccio & T.U.P.Konno;

Família: Apocynaceae

Sinônimos:

  • > Metastelma obscurum ;

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

Espécie descrita em Novon 15(2): 282. 2005. Ditassa obscura forma um complexo com as espécies D. tomentosa, D. cipoensis (Fontella) Rapini D. itambensis Rapini,D . Iongicaulis (E. FournierR) apinita nd D. Iongisepala (Hua) Fontella & E.A. Schwarz (Farinaccio & Konno, 2005). A espécie possui folhas buladas como D. longisepala, mas sua morfologia floral, formato e cores das folhas são distintos (Farinaccio & Konno, 2005). D. obscura é bem similar a D. tomentosa, mas o lobo da corola de D. tomentosa é duas vezes mais longo do que os lobos da D. obscura. D. obscura tem folhas buladas e muitos curtos pedúnculos e pedicelos, e suas inflorescências são sésseis, densamente agrupadas e glomeruladas (Farinaccio & Konno, 2005).

Distribuição

A espécie é endêmica do Brasil (Kosh et al., 2013), no estado de Minas Gerais, nos arredores e no interior do Parque Nacional da Serra da Canastra (M.A. Farinaccio et al. 516). Coletado em regiões acima de 1.000 m de altitude (Konno, 2005).

Ecologia

Trepadeira de ramos tomentosos (Konno, 2005) de ocorrência no Cerrado (Koch et al., 2013), nas fronteiras de pequenas manchas florestais ("capões"), em Matas de Galeria, e em pastagens com solo arenoso, pedregoso (Farinaccio & Konno, 2005). Descrita também como subarbusto volúvel (M.A. Farinaccio 281).

Reprodução

Floresce de outubro a novembro e de abril a maio; frutifica de março a maio (Farinaccio & Konno, 2005).

Ameaças

1.3 Tourism & recreation areas
Incidência local
Severidade low
Detalhes O desenvolvimento de atividades turísticas de forma desordenada é uma ameaça existente no Parque Nacional da Serra da Canastra (MMA/ICMBio, 2005).

2.3.4 Scale Unknown/Unrecorded
Incidência local
Severidade very high
Detalhes Um dos problemas existentes nas proximidades do Parque Nacional da Serra da Canastra (MMA/ICMBio, 2005).

8.4.1 Unspecified species
Incidência local
Severidade high
Detalhes O Plano de Manejo do Parque Nacional da Serra da Canastra aponta a presença de espécies de animais e plantas exóticas como um conflito existente na região (MMA/ICMBio, 2005).

7.1.1 Increase in fire frequency/intensity
Incidência local
Severidade medium
Detalhes A maior parte das causas de incêndios na região do Parque são de origem antrópica, apesar da ocorrência de grande número de incêndios causados por raios (MMA/ICMBio, 2005).

2.1.4 Scale Unknown/Unrecorded
Incidência local
Severidade very high
Detalhes A agricultura é uma das atividades conflitantes existentes na região do Parque Nacional da Serra da Canastra (MMA/ICMBio, 2005).

Ações de conservação

1.1 Site/area protection
Situação: on going
Observações: Existem coletas indicando a presença da espécie no Parque Nacional da Serra da Canastra (M.A. Farinaccio et al. 516).

Referências

- KOCH, I.; RAPINI, A.; KINOSHITA, L.S.; SIMÕES, A.O.; SPINA, A.P. 2013. Apocynaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB26640)

- KONNO, T.U.P. Inéd. Ditassa R.Br. no Brasil (Asclepiadoideae – Apocynaceae). Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

Como citar

CNCFlora. Ditassa obscura in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Ditassa obscura>. Acesso em .


Última edição por Lucas Moulton em 13/11/2014 - 19:16:02