Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Gonolobus dorothyanus Fontella CR

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 16-02-2012

Criterio: B2ab(i,ii,iii)

Avaliador:

Revisor: Tainan Messina

Analista(s) de Dados: CNCFlora

Analista(s) SIG: Marcelo

Especialista(s):


Justificativa

Espécie rara de liana, com população severamente fragmentada, conhecida apenas na Restinga de Jacarepaguá e da APA de Massambaba, ambas no Estado do Rio de Janeiro. Não é coletada na Restinga de Jacarepaguá há 40 anos. Tem distribuição restrita, com área de ocupação menor que 10 km². É ameaçada pelo declínio na extensão de ocorrência e área de ocupação e pela perda de habitat em decorrência da degradação por ocupação e atividades humanas nas Restingas.

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Gonolobus dorothyanus Fontella;

Família: Apocynaceae

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

Descrita em 1984. Trepadeira. Folhas obovadas, elípticas ou oblongas, glabras. Flores esverdeadas, com venação castanha (Rapini et al., 2009).

Distribuição

Estado do Rio de Janeiro (Koch; Rapini, 2011). Planta rara (Rapini et al., 2009).

Ecologia

Trepadeira da restinga de Jacarepaguá (Rapini et al., 2009).

Ameaças

1.4 Infrastructure development
Incidência national
Severidade very high
Detalhes Restrita ao longo da costabrasileira, a vegetação sobre a Restinga está sob intensa pressão da ocupaçãohumana e conseqüente alteração da paisagem original (Mantovani, 2003; Rocha et al., 2004 apud Brizzotti et al., 2009). Os ecossistemas de Restingavêm sendo degradados desde a colonização e encontram-se reduzidos a pequenasmanchas remanescentes (Araújo; Lacerda, 1987; Mantovani, 2003),constituindo o conjunto de ecossistemas dos mais ameaçados do domínio fitogeográficoMata Atlântica (Brizzotti et al., 2009). A Restinga consiste em umacomunidade de plantas que ocorre no litoral, e inclui praias e dunas. Devido aseu solo arenoso e solto, as Restingas são altamente vulneráveis ao impactoantrópico. Uma grande porcentagem já foi destruída pela mineração, pelodesenvolvimento imobiliário e pela agricultura (SEAMA, 2001 apud Aguiar et al., 2005). A vegetação da Restinga égeralmente mais densa e baixa do que outros tipos de vegetação florestal daregião, o que faz dela uma fonte de madeira e lenha muito apreciada pararesidências ou pequenas indústrias (Aguiar et al., 2005).

Ações de conservação

1.2.2.2 National level
Situação: on going
Observações: Citada como Ameaçada na Lista vermelha da flora do Brasil (MMA, 2008), anexo 1. Considerada "Em perigo" (EN) (Biodiversitas, 2005).

4.4 Protected areas
Situação: on going
Observações: Encontrada na seguinte unidade de conservação: APA de Massambaba (Araújo et al., 2009).

Referências

- KOCH, I.; RAPINI, A. Apocynaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil, Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponivel em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2011/FB004608>.

- RAPINI, A.; SILVA, R.F. DE S.; SAMPAIO, L.N.P.GIULIETTI, A. M.; RAPINI, A.; ANDRADE, M. J. G. DE; QUEIROZ, L. P. DE; SILVA, J. M. C. DA. Apocynaceae. Belo Horizonte, MG: Conservaçao Internacional; Univesidade Estadual de Feira de Santana, 2009.

- MANTOVANI, W. Degradação de biomas brasileiros. In: RIBEIRO, W. C. Patrimônio ambiental brasileiro. Universidade de São Paulo, p.367-436, 2003.

- AGUIAR, A.P.; CHIARELLO, A.G; MENDES, S.L.; MATOS, E.N. Os Corredores Central e da Serra do Mar na Mata Atlântica brasileira. In: GALINDO LEAL, C.; CâMARA, I.G. Mata Atlântica Biodiversidade, Ameaças e Perspectivas. Belo Horizonte, MG: Fundação SOS Mata Atlântica; Conservação Internacional Brasil, 2005.

- BRIZZOTTI, M. M.; FARIA, M. B. B. C.; OLIVEIRA, A. A. Atlas dos remanescentes dos ecossistemas de restinga do complexo estuarino lagunar de Iguape, Ilha Comprida e Cananéia, litoral sul do Estado de São Paulo: resultados preliminares. INPE, 2009.

- ARAÚJO, D.S.D.; LACERDA, L.D. A natureza das restingas. Ciência Hoje, v. 6, n. 33, p. 42-48, 1987.

- ARAUJO, D. S. D. D.; SÁ, C. F. C. D.; FONTELLA-PEREIRA, J.; GARCIA, D. S.; FERREIRA, M. V.; PAIXÃO. Área de Proteção Ambiental de Massambaba, Rio de Janeiro: Caracterização Fitofisionômica e Florística. Rodriguésia, v. 60, n. 1, p. 67-96, 2009.

- FUNDAÇÃO BIODIVERSITAS. Revisão da lista da flora brasileira ameaçada de extinção. Belo Horizonte, MG: FUNDAÇÃO BIODIVERSITAS PARA A CONSERVAÇÃO DA NATUREZA, 2005.

- MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Instrução Normativa n. 6, de 23 de setembro de 2008. Espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção e com deficiência de dados, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 24 set. 2008. Seção 1, p.75-83, 2008.

Como citar

CNCFlora. Gonolobus dorothyanus in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Gonolobus dorothyanus>. Acesso em .


Última edição por CNCFlora em 16/02/2012 - 17:51:15