Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Mandevilla semirii M.F.Sales et al. EN

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 03-02-2014

Criterio: B1ab(i,ii,iii)+2ab(i,ii,iii)

Avaliador: Rodrigo Amaro

Revisor: Luiz Santos

Analista(s) de Dados: Roberta Hering

Analista(s) SIG: Thiago, Marcelo

Especialista(s): Alessandro Rapini


Justificativa

Espécie endêmica do estado de Minas Gerais (Koch et al., 2014), onde ocorre na porção norte da Cadeia do Espinhaço, nos municípios de Grão Mogol e Itacambira (Rapini et al., 2009). Pode ser encontrada na Caatinga e no Cerrado, em Campos Rupestres (Koch et al., 2014), em altitude superior a 900 m (Rapini et al., 2009). Possui EOO estimada em 309.1 km² e AOO de 24 km² e está sujeita a menos de cinco situações de ameaça considerando seus municípios e localidades de ocorrência. Suspeita-se que a espécie sofra com a perda da qualidade do hábitat, além do constante declínio da EOO e AOO, em decorrência da existência de atividades agropecuárias (IBGE, 2013).

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Mandevilla semirii M.F.Sales et al.;

Família: Apocynaceae

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

Espécie descrita em Novon 16(1): 126 (-128; fig. 8). 2006. Vegetativamente, Mandevilla semirii é muito semelhante a M. moricandiana e M.rubra devido às seus ramos laterais com entrenós muito curtos. No entanto, ela pode ser distinguida de ambas a partir da estrutura. da corola com a parte acima dos estames expandida amplamente cônica em relação a parte abaixo da inserção do estame (Sales et al., 2006).

Distribuição

Espécie endêmica do Brasil, ocorrendo na porção norte da Cadeia do Espinhaço do estado de Minas Gerais (Koch et al., 2013) nos municípios de Grão Mogol e Itacambiranas, em altitudes superiores a 900 m de altitude (Rapini et al., 2009).

Ecologia

Liana lenhosa com folhas obovadas, discolores, com venação terciária reticulada e conspícua abaxialmente, possuindo flores vistosas, de longo pedicelo, com corola rosa à púrpura de ocorrência em Caatinga e Cerrado, em Campos Rupestres (Rapini et al., 2009; Koch et al., 2013) .

Reprodução

Coletada com flores de novembro a abril e com frutos em abril (Sales et al., 2006).

Ameaças

2.1.4 Scale Unknown/Unrecorded
Incidência local
Severidade high
Detalhes Os municípios de Grão Mogol e Itacambira possuem sua economia fortemente baseada em atividades agrícolas, altamente impactantes para a biodiversidade (IBGE, 2013).

2.3.4 Scale Unknown/Unrecorded
Incidência local
Severidade high
Detalhes Assim como a agricultura, a pecuária também é bastante expressiva na economia dos municípios de ocorrência da espécie, representando uma ameaça a conservação local (IBGE, 2013).

Referências

Como citar

CNCFlora. Mandevilla semirii in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Mandevilla semirii>. Acesso em .


Última edição por Lucas Moulton em 13/11/2014 - 19:34:42