Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Matelea bahiensis Morillo & Fontella EN

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 17-02-2012

Criterio: B2ab(ii,iii)

Avaliador:

Revisor: Tainan Messina

Analista(s) de Dados: CNCFlora

Analista(s) SIG: Marcelo

Especialista(s):


Justificativa

Espécie rara de liana da Mata Atlântica dos Estados da Bahia e Espírito Santo, vive em Floresta Pluvial e Restinga. Tem distribuição restrita e disjunta, EOO de 17.299,70 km² e AOO de 28 km². Está sujeita de três a cinco situações de ameaça (município de Itabuna no Estado da Bahia, e Guarapari e Linhares no Estado do Espírito Santo). Como tem distribuição disjunta, a análise por AOO se faz mais adequada. Foi coletada com baixa frequência entre 1968 a 1992, em região costeirade grande crescimento demográfico, atividades agrícolas e turismo. É ameaçada pelo declínio de área de ocupação e perda de habitat em decorrência da ocupação das Restingas e desmatamento das florestas costeiras.

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Matelea bahiensis Morillo & Fontella;

Família: Apocynaceae

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

Folhas obovadas a elípticas, coriáceas. Flores com corola creme (Rapini et al., 2009).

Distribuição

Bahia (Koch; Rapini, 2011) e Espírito Santo. Planta rara (Rapini et al., 2009).

Ecologia

Trepadeira glabra (Rapini et al., 2009). Mata Atlântica (Koch; Rapini, 2011). Floresta ombrófila densa e restinga (Rapini; Fontella, 2009).

Ameaças

1 Habitat Loss/Degradation (human induced)
Severidade very high
Detalhes Os remanescentes de Mata Atlântica nos Estados daBahia e Espírito Santo correspondem, respectivamente, a 8,97% e 11,07% da distribuição original do Bioma no estado (SOS Mata Atlântica; INPE, 2011).

1 Habitat Loss/Degradation (human induced)
Severidade very high
Detalhes As florestas de terras baixas até a costa do sulda Bahia têm sido ameaçadas pelo desmatamento, em consequência dosplantios de cocos, manejo da cabruca, seringais, dendê, piaçava, agropecuária epelo aumento da atividade turística e especulação imobiliária (Alger; Caldas,1996; Paciência; Prado, 2005).

1 Habitat Loss/Degradation (human induced)
Severidade very high
Detalhes A cobertura vegetal do Estado do Espirito Santo,antes praticamente toda recoberta pela Mata Atlântica, tem uma história dedevastação cujos registros remontam aos do início de sua colonização. Adestruição e degradação do habitat é, sem dúvida, a maior causa de perda debiodiversidade no Estado. Subsequentes ciclos econômicos, como o da exploraçãoda madeira, da agricultura cafeeira, dos "reflorestamentos"homogêneos (Pinus e Eucaliptus), a incidência de espécies exóticas invasoras e sobre-exploração deplantas ornamentais são algumas principais ameaças incidentes sobre a flora doestado (Simonelli ; Fraga, 2007).

Ações de conservação

1.2.2.2 National level
Situação: on going
Observações: Considerada "Deficiente de dados" (DD) pela Lista vermelha da flora do Brasil (MMA, 2008), anexo 2.

Referências

- KOCH, I.; RAPINI, A. Apocynaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil, Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponivel em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2011/FB004695>.

- RAPINI, A.; SILVA, R.F. DE S.; SAMPAIO, L.N.P.GIULIETTI, A. M.; RAPINI, A.; ANDRADE, M. J. G. DE; QUEIROZ, L. P. DE; SILVA, J. M. C. DA. Apocynaceae. Belo Horizonte, MG: Conservaçao Internacional; Univesidade Estadual de Feira de Santana, 2009.

- RAPINI, A.; FONTELLA, J.P. Apocynaceae (Asclepiadoideae). Plantas da Floresta Atlântica, p. 132-140, 2009.

- ALGER, K.; CALDAS, M. Cacau na Bahia: Decadência e Ameaça a Mata Atlântica. Ciência Hoje, v. 20, n. 117, p. 28-35, 1996.

- PACIÊNCIA, M. L. B.; PRADO, J. Effects of forest fragmentation on pteridophyte diversity in a tropical rain forest in Brazil. Plant Ecology, v. 180, p. 87-104, 2005.

- FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA; INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS. Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica: Período 2008-2010. 2011. 122 p.

- SIMONELLI, M.; FRAGA, C. N. Espécies da Flora Ameaçadas de Extinção no Estado do Espírito Santo. Vitória, ES: IPEMA, 2007. 144 p.

- MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Instrução Normativa n. 6, de 23 de setembro de 2008. Espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção e com deficiência de dados, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 24 set. 2008. Seção 1, p.75-83, 2008.

Como citar

CNCFlora. Matelea bahiensis in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Matelea bahiensis>. Acesso em .


Última edição por CNCFlora em 17/02/2012 - 13:28:40