Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Minaria campanuliflora Rapini CR

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 04-02-2014

Criterio: B1ab(i,ii,iii)+2ab(i,ii,iii)

Avaliador: Rodrigo Amaro

Revisor: Luiz Santos

Analista(s) de Dados: Roberta Hering

Analista(s) SIG: Marcelo, Thiago

Especialista(s): Alessandro Rapini


Justificativa

Espécie endêmica do estado de Minas Gerais (Koch et al., 2014), onde é restrita ao município de São Gonçalo do Rio Preto, porção nordeste do Planalto de Diamantina (Konno et al., 2006; Rapini et al., 2009). Encontrada nos Campos Rupestres associados ao Cerrado (Koch et al., 2013), desenvolve-se sobre solo arenoso aproximadamente entre 1.400 m e 1.600 m de altitude (CNCFlora, 2013). Apresenta EOO menor que 100 km² e AOO inferior a 10 km² e está sujeita a uma única situação de ameaça. Apesar de ocorrer dentro dos limites do Parque Estadual do Rio Preto (Konno et al., 2006), suspeita-se que a espécie sofra com a perda da qualidade do hábitat, além do constante declínio de EOO e AOO, em decorrência das ameaças incidentes em sua região de ocorrência, como principalmente, o aumento na frequência de incêndios para a implementação da pecuária (Wanderley et al., 2009; IBGE, 2013).

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Minaria campanuliflora Rapini;

Família: Apocynaceae

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

Espécie descrita em Taxon 55(2): 428 (426, 429; figs. 3h-i, 5). 2006.

Distribuição

Espécie endêmica do Brasil, ocorrendo no estado de Minas Gerais (Koch et al., 2013), sendo encontrada na porção nordeste do Planalto de Diamantina, no município São Gonçalo do Rio Preto (Konno et al., 2006), em altitude de 1.400 a 1.600 m (P.L. Viana 1258; 1263). Coletada no Parque Estadual do Rio Preto (P.L. Ribeiro 409).

Ecologia

Subarbusto hirsuto, com cerca de 25 cm de altura, apresentando folhas cordiformes, revolutas e eretas, além de flores com sépalas vináceas e corola creme-esverdeada com traços vináceos (Konno et al., 2006). Ocorre no Cerrado (Koch et al., 2013), em regiões de Campo Rupestre, com solo arenoso (P.L. Ribeiro 409).

Ameaças

2.1.4 Scale Unknown/Unrecorded
Incidência local
Severidade very high
Detalhes As culturas agrícolas são importantes atividades econômicas do município de São Gonçalo do rio Preto (IBGE, 2013)

7.1.1 Increase in fire frequency/intensity
Incidência regional
Severidade very high
Detalhes O fogo é uma das principais ameaças existentes na região do Planalto de Diamantina (Wanderley et al., 2009).

Ações de conservação

1.1 Site/area protection
Situação: on going
Observações: Espécie ocorre no Parque Estadual do Rio Preto (P.L. Ribeiro 409).

Referências

- KOCH, I.; RAPINI, A.; KINOSHITA, L.S.; SIMÕES, A.O.; SPINA, A.P. 2013. Apocynaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB26640)

- RAPINI, A.; SOUZA SILVA, R.F. DE; SAMPAIO, L.N.P. Apocynaceae In :Plantas raras do Brasil / organizadores, Ana Maria Giulietti ... [et al.]. – Belo Horizonte, MG : Conservação Internacional. 496 p. : il., fots. color., mapas; 26 cm. Co-editora: Universidade Estadual de Feira de Santana. ISBN: 978-85-98830-12-4. 2009

- KONNO, T.U.P.; RAPINI, A.; GOYDER, D.J.; CHASE, M.W. The new genus Minaria (Apocynaceae). Taxon 55: 421-430. 2006

Como citar

CNCFlora. Minaria campanuliflora in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Minaria campanuliflora>. Acesso em .


Última edição por Lucas Moulton em 19/11/2014 - 11:44:50