Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Prestonia bahiensis Müll.Arg. LC

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 17-02-2012

Criterio:

Avaliador: Maria Marta V. de Moraes

Revisor: Miguel d'Avila de Moraes

Analista(s) de Dados: CNCFlora

Analista(s) SIG:

Especialista(s):


Justificativa

A espécie ocorre nas regiõesNordeste e Sudeste, com representantes na Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica,com EOO de 1.420.163 km², inclusive em unidades de conservação (SNUC). Segundo informaçãodisponível, no Estado de São Paulo, só existe uma coleta antiga, e é possívelque esteja localmente extinta. Sugerimos mais estudos para elucidar este status.

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Prestonia bahiensis Müll.Arg.;

Família: Apocynaceae

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

Lianas de caule robusto; ramos densamente ferrugíneos-tomentosos a glabros (Scatolin; Kinoshita, 2005). Prestonia bahiensis é facilmente confundida com P. tomentosa, sendo diferenciada pelo aspecto brilhante do indumento, principalmente na superfície abaxial das folhas e pelos coléteres calicinais, apenas um oposto a cada lacínia, profundamente lacerado no ápice. As flores são grandes, amarelo-claras, com anel branco conspícuo na fauce e apêndices supra-estaminais evidentes, e apresentam grande semelhança em relação às flores de P. calycina e P. tomentosa (Rio; Kinoshita, 2005).

Potêncial valor econômico

​Tem potencial ornamental (Koch, com. pess.)

Distribuição

Nordeste (Bahia), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo) (Koch; Rapini, 2011). Espécie rara com apenas um registro para o Estado de São Paulo, não tendo sido coletada recentemente. É possível que esteja localmente extinta (Scatolin; Kinoshita, 2005). Em Minas Gerais, ocorre com certa freqüência, porém é mais comum na Bahia (Rio; Kinoshita, 2005).

Ecologia

Lianas de caule robusto (Scatolin; Kinoshita, 2005).. Coletada com flores e frutos em Março Flores de janeiro a março e frutos a partir de março. Frutos secos, folículos, com sementes comosas. Dispersão anemocórica. A espécie possui potencial ornamental (Koch, com. pess.)

Ações de conservação

4.4.2 Establishment
Situação: on going
Observações: Protegida pela Reserva Natural Serra das Almas (RPPN), a 54 km do centro do município de Crateús, Estado do Ceará (Araújo, 2011).

1.2.1.3 Sub-national level
Situação: on going
Observações: Considerada "Vulnerável" (VU) pela Lista vermelha da flora de São Paulo (SMA-SP, 2004).

Referências

- KOCH, I.; RAPINI, A. Apocynaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil, Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponivel em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2011/FB004822>.

- KOCH, I.; SIMÕES, A.O.STEHMANN, J. R.; FORZZA, R. C.; SALINO, A. ET AL. Apocynaceae (Apocynoideae, Rauvolfioideae). Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 132-140 p.

Como citar

CNCFlora. Prestonia bahiensis in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Prestonia bahiensis>. Acesso em .


Última edição por CNCFlora em 17/02/2012 - 13:44:26